Importância da amamentação para a saúde bucal do bebê
Saúde | 14/09/2009

Quem pensa que a amamentação só é importante porque garante o principal alimento para os bebês, nos primeiros meses de vida, se engana. “Uma das formas de garantir um sorriso harmonioso é a amamentação. O aleitamento natural é a melhor opção para favorecer o exercício da sucção do bebê, muito importante para o desenvolvimento muscular e ósseo do rosto. O aleitamento ajuda a projetar para a frente o queixo do bebê, que, em geral, nasce posicionado mais para trás. Ao mamar no peito, a criança também aprende a respirar pelo nariz e a posicionar a língua”, conta Celina Gavini, odontopediatra da Clínica Genesis.

E mesmo quando os pequenos se alimentam apenas com leite materno e ainda não têm dentinhos, é fundamental cuidar da higiene da boca. É comum o leite se acumular em algum cantinho e fermentar, o que torna a cavidade bucal um local para o desenvolvimento de fungos e bactérias. “Para evitar que isso aconteça, o ideal é que a higiene seja feita com uma fralda ou gaze umedecida com água filtrada ou fervida em toda a gengiva do bebê, logo após as mamadas ou, rotineiramente, toda noite”, explica Celina Gavini.

Até o aparecimento dos dois primeiros dentinhos, os pais podem limpar a boca do filho apenas com uma gaze umedecida em água filtrada ou fervida. “A escova de dente vai ser utilizada a partir do nascimento do primeiro dente. As ideais são as de cabeça pequena e cerdas macias. A pasta de dentes só entra em cena quando a criança tiver os oito incisivos, quatro superiores e quatro inferiores. A primeira opção são os dentifrícios sem flúor. Até os três anos de idade, o creme dental da criança não deve conter flúor. Isso porque ela ainda não consegue cuspir a espuma e, se engolir essa substância em excesso, e constantemente, pode desenvolver uma doença chamada fluorose, que altera os dentes em formação”, alerta a dentista.

Quando a primeira dentição começa a nascer, chega a hora de introduzir na dieta do bebê, os alimentos mais sólidos. Segundo a dentista, o hábito de bater tudo no liquidificador deve ser evitado porque, ao comer alimentos mais pastosos, a criança já começa a treinar os movimentos mastigatórios. Água, sucos e outros líqüidos devem ser tomados no copo para estimular o movimento de sorver, que também é importante. “Alternar colher, canudo e caneca ajuda a exercitar movimentos musculares diversos. Após a introdução dos alimentos sólidos, os pais devem retirar, gradativamente, o hábito da mamadeira noturna. “O resto de leite que fica na boca cria uma verdadeira cultura de bactérias, que pode provocar o aparecimento de cáries”, informa a odontopediatra da Clínica Genesis.

Uma das maneiras do bebê interagir com o mundo é por meio da boca. Ele vive esta fase oral no primeiro ano de vida e, na hora de explorar os objetos, coloca tudo o que encontra na boca, sua maior fonte de prazer. “Por isso, todo cuidado com a higiene dos brinquedos é pouco. Eles devem ser lavados constantemente com água e sabão”, recomenda a odontopediatra da Genesis.

Nada de chupeta

Os danos que chupar dedo e chupeta provocam ao desenvolvimento muscular e ósseo são bastante propagados e os dentistas sempre os reforçam: esses hábitos podem causar problemas como dentes superiores projetados para a frente e interposição da língua no meio dos dentes. As maloclusões são essencialmente decorrentes de hábitos nocivos desenvolvidos na infância, dentre os quais destacam-se a succção da chupeta e do polegar. “Os efeitos destes hábitos sobre o desenvolvimento da maxila e da mandíbula e sobre os arcos dentários dependem do desenvolvimento osteogênico da criança, da duração, da freqüência e da intensidade com os quais eles são praticados”, explica a dentista.

O crescimento da face durante a vida é influenciado pelo desenvolvimento adequado da respiração, mastigação, fonação e deglutição. As maloclusões causam prejuízo em todas estas funções, sendo, portanto, justificável a atuação preventiva do odontopediatra, que pode intervir exatamente no período em que estão ocorrendo as mudanças do processo de crescimento ósseo. “Ainda na primeira infância, a interrupção dos hábitos deletérios, como o uso da chupeta, possibilitaria o adequado crescimento ósseo e dentário”, destaca Celina Gavini.

 

Bookmark e Compartilhe